Aprenda como regular uma máquina de costura

Guilherme Neves - 25/03/2020

Prevenção e segurança contra a Covid-19

Guilherme Neves - 25/03/2020

Como funciona o sistema de compensação de energia fotovoltaica?

Guilherme Neves - 25/03/2020
Woman at a sewing machine
Corona_linkedin_1200x627px_
shutterstock_175274429

Investir em um sistema de compensação de energia fotovoltaica é uma iniciativa importante para a sua economia, trazendo diversos benefícios para o meio ambiente. É um sistema onde a energia ativa injetada por unidade consumidora é cedida por meio de um empréstimo gratuito à distribuidora local.

Mais tarde, ela é compensada com o consumo de energia elétrica ativa dessa mesma unidade consumidora ou de outra unidade consumidora de mesma titularidade da unidade consumidora onde os créditos foram gerados, claro, que, desde que possua o mesmo Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou Cadastro de Pessoa Jurídica (CNPJ) junto ao Ministério da Fazenda.

Você sabia que a energia fotovoltaica pode ser utilizada no sistema de compensação de energia? Ao instalarem painéis solares um excedente de energia, os consumidores podem receber descontos na conta de luz, resultando em uma economia significativa.

A Elgin disponibiliza um Kit Solar que possibilita reduzir o valor da sua conta em até 95%. Uma redução considerável que deve fazer você refletir se é a hora de optar por renovar sua energia.

Confira o vídeo abaixo que destaca toda a importância do Kit Solar para sua empresa ou casa:

Sua casa ou empresa se torna muito mais sustentável ao ponto de reduzir consideravelmente a utilização de fontes de energia que provavelmente contém substâncias nocivas à natureza, que podem resultar em problemas futuros para você e toda sociedade.

A sustentabilidade é um assunto extremamente importante, não é mesmo? Mas, muitas pessoas não sabem como contribuir ou acreditam que a sua contribuição não será suficiente para ajudar o meio ambiente. Há diversas maneiras pelas quais podemos ajudar na preservação da natureza, como utilizar energia fotovoltaica, que é a energia elétrica gerada a partir da luz solar.

Como funciona um sistema de compensação de energia fotovoltaica?

É o tipo de produção de energia que oferece retorno garantido. A importância da energia fotovoltaica para todos nós é tamanha que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) criou o Sistema de Compensação de Energia Elétrica, aperfeiçoando a Resolução Normativa nº 482/2012.

Ou seja, o sistema de compensação de energia é regulamentado pela Aneel desde 2012, e só pode ser aplicado no caso de energia hídrica, solar, eólica, de cogeração qualificada ou biomassa.

Qual a diferença entre microgeração e minigeração?

Microgeração distribuída é a central geradora de energia elétrica com potência instalada de até 75 kW. Já a minigeração distribuída é a central geradora de energia elétrica com potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 5 MW.

Porque utilizar um sistema de compensação de energia fotovoltaica?

Com o objetivo de promover maior eficiência energética e ter um melhor aproveitamento dos recursos naturais associados à energia elétrica, o sistema de compensação de energia é um método de troca entre o consumidor final e a distribuidora local.

A utilização se dá pelo fato de a energia limpa e sustentável se fazer presente em todo o país, tanto no aspecto residencial como industrial.

E aqueles que investem no sistema de compensação de energia elétrica tem como benefício a possibilidade de abatimento do próprio consumo de energia: quando a energia elétrica é devolvida fica com um “saldo positivo” que pode ser deduzido da próxima fatura, ou nos 36 meses seguintes.

O desconto também pode ser transferido para outra unidade consumidora, desde que esteja dentro da mesma área de concessão e sob o nome do mesmo titular. Trata-se de um benefício muito utilizado por indústrias de grande porte que possuem diversas unidades consumidoras de energia local.

O sistema de compensação de energia também traz benefícios não somente para o consumidor, como também, para o meio ambiente. Isso porque o processo visa economizar com investimentos em transmissão de energia, investe em fontes renováveis e favorece o melhor aproveitamento dos recursos.

Leia também:

Financiamento para energia solar: o manual completo

Como construir casas ecológicas?

Luz de emergência é a segurança necessária para ambientes

Crédito de energia para o sistema

Os créditos excedentes podem também ser utilizados para abater o consumo de unidades consumidoras do mesmo titular situadas em outro local, mas desde que na área de atendimento seja da mesma distribuidora.

O tipo de utilização dos créditos é conhecido como “autoconsumo remoto”. O prazo de validade dos créditos é de 60 meses, contados a partir da data de faturamento. Importante lembrar que se não utilizados nesse período, os créditos perdem a validade. Por isso é preciso tomar cuidado quanto a esse detalhe.

Geração distribuída

Uma outra novidade do sistema de compensação proposta pela ANEEL está relacionada à  , como condomínios ou empreendimentos que contam com unidades consumidoras.

Dessa forma, muitas pessoas interessadas na produção de energia fotovoltaica podem se unir e fazer uso dela, instalando uma mini ou microgeração distribuída.

Um exemplo é o da microgeração por fonte fotovoltaica: de dia, o restante da energia solar gerada pela central é passada para a rede e à noite, a rede direciona a energia para a unidade consumidora.

A rede funciona como uma bateria. Ela armazena o excedente até o momento em que a unidade consumidora precise de uma energia proveniente da distribuidora.

Condições para a adesão de um sistema

Compete ao consumidor a iniciativa de instalação de micro ou minigeração distribuída. A ANEEL não estabelece o custo dos geradores e tampouco eventuais condições de financiamento.

O consumidor deve analisar a relação custo-benefício para instalação dos geradores, com base nas seguintes variáveis: tipo da fonte de energia (painéis solares), tecnologia dos equipamentos, porte da unidade consumidora e da central geradora, localização (rural ou urbana), valor da tarifa à qual a unidade consumidora está submetida, além das condições de pagamento e financiamento do projeto e existência de outras unidades consumidoras que possam tirar proveito dos créditos do sistema de compensação de energia elétrica.

Ressaltamos que, para unidades consumidoras conectadas em baixa tensão, ainda que a energia injetada na rede seja superior ao consumo, será devido o pagamento referente ao custo de disponibilidade – valor em reais equivalente a 30 kWh (monofásico), 50 kWh (bifásico) ou 100 kWh (trifásico).

E para os consumidores conectados em alta tensão, a parcela de energia da fatura poderá ser zerada (caso a quantidade de energia injetada ao longo do mês seja maior ou igual à quantidade de energia consumida), sendo que a parcela da fatura correspondente à demanda contratada será faturada normalmente.

Imagem de placa solar com duas pessoas observando.

Para que você possa ter um sistema de compensação de energia é essencial ter uma placa solar

Condições para adesão de uma rede compartilhada

Outrora somente os donos dos sistemas fotovoltaicos podiam compensar os créditos de energia, por meio do seu CPF ou CNPJ. Agora já é possível fazer a transferência de percentuais de créditos a pessoas que possuem um vínculo com o dono do sistema, por meio da microgeração distribuída.

Para se conectar a uma região de geração da distribuidora, é preciso preencher um formulário padrão de solicitação. O prazo da empresa para conectar usinas de até 75 kW é de 34 dias — antes das novas normas, era de 82 dias.

Em condomínios, a distribuição da energia é definida pelos próprios consumidores, sendo que as cotas de crédito são abatidas de forma independente.

Burocracia reduzida para ter um sistema solar

É uma das principais mudanças da nova resolução nº 482/2012. As exigências foram reduzidas: antes das alterações, o processo de registro no sistema solar realizado pelas companhias apresentavam um prazo de três meses ou mais. Com as novas regras, esse tempo diminuiu para cerca de um mês.

No cenário atual, o procedimento tem apenas uma etapa, eliminando a necessidade de troca de documentos e aumentando a agilidade do processo para uso dos créditos de energia.

Contratos de geração

Não é preciso que unidades consumidoras de mini ou microgeração assinem contratos de uso e conexão com as empresas geradoras de energia. A assinatura desses documentos se aplica somente a unidades maiores.

Autoconsumo remoto

É uma nova modalidade do sistema de compensação. Ela permite que locais onde não há espaço suficiente para instalação de unidades geradoras — ou onde a incidência solar é pequena — possam gerar energia solar.

Nesse método, o consumidor se planeja e cria, em sua residência,  um sistema fotovoltaico e o utiliza para abater os créditos em outro local, como o seu escritório, por exemplo. Assim, é possível utilizar os créditos em locais que não produzem energia fotovoltaica.

Conclusão: Sistema de compensação energética é eficiente e companheiro do meio ambiente

A energia elétrica gerada por meio dos painéis solares é abatida na conta de luz mensal. Isso significa que no fim de cada mês, o consumidor pagará apenas a diferença entre o que foi gerado e o que foi consumido. É uma economia considerável na conta. Ela pode chegar até 95%.

Como vimos, vale destacar que esses créditos energéticos também podem ser aproveitados em outras unidades consumidoras, desde que estejam localizadas na área de concessão da mesma distribuidora.

Trata-se de uma revolução na forma de utilizar eletricidade e, ao mesmo tempo, é simples de ser aplicado. Simplesmente o processo se baseia na produção da própria eletricidade proveniente do Sol para que você tenha resultados significativos quanto à economia de energia.

Parte desse sistema é a geração distribuída em condomínios (empreendimentos de múltiplas unidades consumidoras). Nessa configuração, a energia gerada pode ser repartida entre os consumidores em porcentagens definidas pelos próprios condôminos.

As mudanças na norma nº 482/2012 trazem melhorias no uso da energia fotovoltaica. Com isso você pode compartilhar a energia gerada em um sistema, além de obter um prazo mais extenso para utilizar os créditos.

São inovações  sustentáveis que permitem a redução no consumo de eletricidade, que trazem benefícios para o meio ambiente, impactando em uma melhor qualidade de vida para todos nós.

A vida útil de um sistema fotovoltaico é duradoura. Inclusive pode durar vinte anos ou até por um tempo maior. E ter um sistema como esse é a  garantia de uma energia limpa que faz bem para você e ao meio ambiente.

imagem de placa solar com sol ao fundo.

A placa solar traz muito vantagens, em especial, para o meio ambiente

Para um sistema fotovoltaico padrão (conectado na rede elétrica da sua residência) você vai precisar de um Kit de Energia Solar residencial: painéis fotovoltaicos (placas solares), inversor solar, string box, estrutura de fixação, cabos e conectores específicos para energia fotovoltaica.

Mas como funciona o processo? Durante o dia, os painéis solares, conhecidos também como módulos fotovoltaicos, captam a luz do sol e o Kit Elgin transforma essa energia em energia elétrica apta para ser usada pelos eletrodomésticos da sua casa, atendendo suas necessidades de consumo.

E toda energia que for produzida e não for consumida será injetada na rede distribuidora de energia local. Nesse momento, um medidor bidirecional (componente do sistema fotovoltaico que tem a função de medir o consumo de energia elétrica) contabiliza a saída de energia da sua casa direto para a rede elétrica. À noite, quando não há produção de energia solar, o consumo é atendido pela rede elétrica local. O medidor bidirecional então começa a contabilizar a entrada de energia.

Sua conta de luz será calculada por um sistema de compensação, no qual toda a energia que saiu servirá como desconto para toda energia que entrou. Quando a saída foi maior do que a entrada, gerará créditos, para que você consiga abater em futuras conta de luz, reduzindo, assim, sua despesa para tarifas mínimas.

Conheça os produtos de energia solar que podem fazer parte de um sistema de compensação energética. Não se esqueça de acessar nosso site,  clique aqui para calcular a sua economia e obter maiores informações sobre o Kit Solar da Elgin.

Painéis solares fotovoltaicos

Os painéis solares fotovoltaicos tem alta confiabilidade, Selo A do INMETRO e permite a homologação em todas as concessionárias do Brasil. Além disso, oferece 25 anos de garantia de geração de energia e 10 anos de garantia contra defeitos de fabricação.

PAINEL_SOLAR

Inversor solar

Com potências de 600W a 75KW , o inversor solar é utilizado para conexão na rede e converte a energia das placas solares de corrente contínua para corrente alternada (utilizada nas residências, escritórios e comércio).

Inversor Close 1

String box

Já o String box tem a função de proteger o sistema das placas solares fotovoltaicas que geram corrente contínua, isolando a instalação. Impede acidentes como curtos-circuitos e surtos elétricos.

 String box

Gostou? Confira outros conteúdos como este no blog!